sexta-feira, 28 de novembro de 2014

NÃO HÁ RISCOS DE GOLPE, NADA MELHOR QUE UMA ESQUERDA PARA CONCLUIR O TRABALHO DA DIREITA


Desde que o PT e seus aliados da esquerda social-liberal PCdoB, PSB e PDT se aproximaram de setores da direita brasileira para garantir a governabilidade burguesa, fala-se em avanços para os trabalhadores como se o nosso país estivesse caminhando para o socialismo, por causa disso a burguesia brasileira estaria conspirando para impedir o avanço na sociedade brasileira.
Na prática, estamos assistindo o contrário, para muitos militantes de esquerda a degeneração do PT começou com a vitória eleitoral de Lula em 2002. O PT foi uma tragédia anunciada, surge negando, distorcendo a história do movimento operário no Brasil, foi legalizado durante a reforma eleitoral da ditadura após o pacote de abril de 1977, onde a reforma eleitoral realizada naquele momento da ditadura deixa de fora os comunistas que não puderam disputar as eleições como partido legalizado em 1982.
O PT não foi atingido pela crise das experiências de construção do socialismo na Europa Oriental, porque em seus documentos defendiam o solidariedade na Polônia que era financiado pela CIA. Após a derrota eleitoral em 1989, o campo majoritário do PT avança para guinada a direita com a CUT (Central Única dos Trabalhadores) se filiando a CIOLS (Confederação Internacional das Organizações Sindicais Livres). A CUT desde então vem promovendo o discurso despolitizante no meio sindical ao defender um sindicalismo pelego com discurso de cidadania e colaboração com o capital no lugar do sindicato classista em oposição ao capital, para acalmar a burguesia brasileira e internacional, o PT lança a carta aos brasileiros e adota como vice na chapa de Lula em 2002 o empresário José Alencar para simbolizar a aliança capital-trabalho.
Após a posse em 2003 o governo petista e seus aliados sociais-liberais, estendem a mão aos velhos conchavos da política burguesa tradicional da direita brasileira que inclui alguns dirigentes políticos tradicionais como: Sarney, Maluf, Collor, Roberto Jefferson, Inocêncio Oliveira, Kátia Abreu... Através desta aliança foi garantido o pacto de governabilidade para fazer avançar o capitalismo brasileiro, veio a modernização conservadora garantida pela cooptação dos movimentos sociais como as centrais sindicais governistas, o movimento estudantil como a UNE e etc. Com o governo petista o Brasil se inseriu no campo internacional como potência emergente, porém não vamos nos iludir é uma política externa conservadora e capitalista esta política externa não tem nada de antiimperialista. O governo petista vem praticando a política externa do capitalismo brasileiro. Tropas foram enviadas e mantidas no Haití, aviões tucanos fabricados no Brasil foram enviados para a Colômbia para ser utilizados para bombardear regiões camponesas, este governo manteve os acordos comerciais e militares com os Estados Unidos, Israel, Colômbia e outros países capitalistas. Este governo consolidou as multinacionais brasileiras no exterior, não para fazer a integração com os povos e sim para disputar mercados como qualquer empresa capitalista, toda esta expansão do capitalismo brasileiro é financiada pelo apoio de bancos públicos como o BNDES, mesmo os investimentos em Cuba é um investimento capitalista como qualquer outro, as divergências entre o bloco burguês liderado pelo PT e o bloco burguês liderado pelo PSDB é quem vai gerir o capitalismo brasileiro, as duas ou três campanhas mais forte são apoiadas e financiadas pelas mesmas empresas.
O governo petista não procurou rever as privatizações do período anterior, ao contrário as aprofundaram com as parcerias público-privadas as famosas PPP’s, criou a EMBESERH para privatizar os serviços públicos nos hospitais federais, não assentou os trabalhadores rurais e vem entregando o nosso petróleo através da agência nacional do petróleo a famosa ANP dirigida pelo PCdoB, fazendo com que a Petrobras deixe de ser uma empresa pública para ser privatizada aos poucos para atender os interesses das grandes empresas capitalistas nacionais e estrangeiras. O governo petista não fez reforma agrária porque sua base de apoio é ligada ao agronegócio como a ruralista Kátia Abreu. O Governo petista tem se pautado pelas propostas conservadoras que retiram cada vez mais direitos dos trabalhadores, foi justamente durante o governo petista que foi feito as reformas da previdência e a reforma sindical ambos para atender os interesses do capital.
O escândalo do mensalão não foi uma tragédia, foi apenas um fato corriqueiro da tradicional política burguesa tão comum em qualquer país capitalista. O governo do PT não quis governar com as massas trabalhadoras mobilizadas para não perturbar o sono da burguesia e nem atrapalhar a acumulação de capital, preferiu fazer acordos com deputados dos partidos burgueses acostumados ao fisiologismo do modo capitalista de governar, com isto o PT e seus aliados de esquerda como o PCdoB se renderam a velha prática do cretinismo parlamentar.
A corrupção não é uma invenção do PT, como vem falando os eleitores de Aécio Neves (PSDB) ou personalidades da direita, isto é prática comum nas sociedades capitalistas. Os eleitores de Aécio Neves, Bolsonaro e etc, deviam buscar mais informação ao invés de ficar falando besteiras como “papagaio de pirata”, tem eleitor de Aécio Neves que fica esperneando nas redes sociais, enquanto os grandes bancos e grandes empresas comemoram o resultado das eleições, porque estes são os grandes financiadores das campanhas eleitorais. Seja Dilma do PT, Aécio do PSDB ou Marina do PSB, qualquer um destes que fossem vitoriosos nas eleições nada não mudaria o quadro político da sociedade brasileira, contudo não é uma simples eleição ou revezamento de partidos ligados ao capital que irá mudar toda uma estrutura e superestrutura em uma sociedade.
Governos de esquerda que governam com a direita não é novidade na história da luta de classes, foi assim com a social-democracia, partidos da segunda internacional durante primeira guerra mundial 1914-1918 quando estes partidos aderiram à política de colaboração de classe com a burguesia reprimiram levantes de trabalhadores como o ocorrido na Alemanha durante o governo que contou com a participação de Kautsky importante dirigente de um importante partido operário, este partido foi conivente com o assassinato da revolucionária Rosa Luxemburgo, Kerensky na Rússia, Otto Bauer na Áustria e etc.
Governos sociais-democratas com sua política de colaboração de classes ao confundir as massas, preparou o caminho para o Nazi-Fascismo durante a crise do capitalismo nos anos 1920 e 1930, após a segundo guerra mundial a social-democracia até mesmo alguns partidos comunistas garantiram o pacto capital-trabalho com a política capitalista Kenesiana do Estado de bem Estar Social, esta mesma social democracia nunca deixou de praticar a política econômica da burguesia. Aqui entre nós a social democracia chegou ao poder no momento em que ela não pode aplicar e nem garantir os direitos sociais, porque neste momento o capitalismo está atacando os direitos históricos das classes trabalhadoras em todo planeta. Derrotar o capitalismo é a única possibilidade de se preservar o planeta.
Enquanto houver gordura para queimar o capitalismo brasileiro vai procurar cooptar as massas trabalhadoras promovendo uma pequena política social como: o aumento do salário mínimo, bolsa família, consuma pelo endividamento, atraindo o mais pobre com a despolitização através da substituição de conceitos de esquerda e direita por conceitos entre pobres e ricos, procurando esvaziar o discurso ideológico de luta entre a classe proletária e a burguesa, o atual governo brasileiro liderado pelo PT não é um governo que transita para o socialismo é um governo capitalista que aceitou fazer o jogo da burguesia, nada melhor para um governo que se diz de esquerda concluir o trabalho da direita para desmobilizar e despolitizar as massas trabalhadoras, será este o legado deixado pelo governo petista e seus aliados sociais-liberais para a história da luta de classes no Brasil.
O período que se aproxima será de turbulências com aplicações de receituário conservador já anunciado após as eleições do segundo turno no dia 26 de outubro de 2014. O governo Dilma do PT vai ter que continuar o receituário Neoliberal dos governos anteriores, mesmo que estivessem na presidência Lula ou Aécio, as leis antipopulares e a aprovação de projetos a favor do capital é uma exigência da burguesia, lembrando o velho dilema do Positivismo da ordem e do progresso.
Hoje não há, não tem como haver um golpe ou retrocesso, a burguesia brasileira esta muito satisfeita pelos cardápios colocados pela grande mídia burguesa, o PT escolheu governar para o capital não tem volta, será que agora o governo do PT vai deixar de repassar recursos públicos para a Veja e outras empresas capitalistas? Vai cobrar do Sistema Globo e de outras grandes empresas as dividas junto ao Estado brasileiro? Vai enfrentar as bancadas conservadoras liderada pelo PSDB? Vai encarar as exigências do PMDB? De modo algum, não ha volta na opção de classe é puramente falacioso o discurso do menos pior, Aécio do PSDB e Dilma do PT são ruins para os trabalhadores, o PT escolheu garantir a governabilidade burguesa, nunca convidou os trabalhadores para fazer parte deste governo. Nunca ouve uma inflexão para a esquerda das poucas vezes em que aconteceu foi por puro oportunismo ou conveniência de momento.
Este é um momento que exige muita firmeza e determinação na defesa e independência de classe, devemos buscar aliança não só com aqueles setores tradicionais organizados em partidos e movimentos sindicais e populares, mais também com os trabalhadores dispersos e fora das máquinas burocráticas sindicais, apesar do vacilo e falta de disposição, setores importantes estão dispostos a lutar sejam nas greves, manifestações que estão ocorrendo em diversas regiões do Brasil, com populações reagindo até mesmo com paus e pedras, contra a injustiça nos canteiros de obras (relembrando a reação dos trabalhadores nos canteiros de obra do PAC), pela falta de serviços públicos, contra a violência da polícia nos bairros proletários.
A grande tarefa dos comunistas é colocar na ordem do dia a missão de romper com a apatia e institucionalidade que tomou conta da militância de esquerda que esta acreditando ser possível jogar todas as energias no processo eleitoral burguês fazendo com que parte dos partidos de esquerda mergulhe na ordem burguesa aderindo às agendas políticas pós-moderna movimentista negando a centralidade do trabalho para gerar reformismo e acomodação entre os militantes.
Ao não iludir o proletariado com velhos dispositivos, estamos olhando para o futuro nos preparando para enfrentar as forças interessadas na manutenção dessa ordem, na luta de classes não a espaço para vacilar, devemos lutar para desmascarar as forças que preservam a ordem burguesa, mirando no futuro para assegurar os caminhos que vão construir a revolução brasileira para conquistarmos um Estado governado e dirigido pelos trabalhadores através do Poder Popular rumo ao Socialismo em nosso país.

Ousar lutar!! Ousar Vencer!!

José Renato André Rodrigues
Professor de Filosofia
Secretário Político
Comitê Municipal do PCB – Nova Iguaçu  

3 comentários:

Revistacidadesol disse...

José Renato: lembre-se que o PCB apoiou o PT entre 2002 e 2005. Te deu uma "amnésia" a respeito, não foi?

Osvaldo L. C. Necchy disse...

Valeu Prof.: José Renato, o seu ponto de vista foi magistral e contundente, está com uma leitura atenta aos fatos contemporâneos; e não podemos nunca separar e deletar a dicotomia:Esquerda x Direita. Que sempre vai ser permanente, mas num processo heraclítico do jogo de força da dialética, em uma mudança incessante até a chegada da


Revolução prometida.

Daniel Oliveira disse...

Revista do Sol: O PCB rompeu com o governo petista em 2005, como você comentou, e de lá para cá, fazemos oposição de esquerda.