sábado, 18 de setembro de 2010

Denúncia S.O.S. Educação em Contagem

No dia da apresentação do tal curso de pós que a Prefeitura de Contagem iria oferecer aos diretores e pedagogos algumas coisas me provocaram profundo incômodo. A primeira delas foi a fala da senhora que fez a apresentação. Além de uma postura intimidadora ela soltou a pérola "quando o professor não atrapalha o aluno aprende". Não preciso dizer muito sobre como me senti ouvindo aquilo.
O segundo ponto foi o discurso de escola particular (qualidade, excelência, produtividade, competição, seleção, avaliação) repetido parecendo um mantra. Isso pra não falar de termos como "visão de futuro" e outras abobrinhas que nada tem a ver com a linha e necessidade de uma rede pública.
Também, ficou óbvia a intenção padronizadora da rede com o pretexto de que sendo um Sistema de Ensino não cabia "discrepâncias" entre as ações de uma escola e outra. Ou seja, a autonomia dos Projetos Políticos Pedagógigos vai para o ralo e a contrução de uma escola que tenha mais sentido para a realidade e a comunidade na qual está inserida idem.
E para isso, não bastasse a terceirização através da empresa Projecta (que faz parte do Grupo Kroton - dono da rede Pitágoras), o custo por aluno desse curso de (se não me engano) 360 horas é de nove mil reais!?!?!?!?!? Por cabeça!?!?!?!? Em algumas escolas temos visto os "resultados" desse curso: paineizinhos bobos cheios de termos genéricos e que na prática não mudam em rigorosamente nada o dia-a-dia da escola. Isso sem falar, segundo relatos, que a dinâmica adotada é para impedir qualquer tipo de discussão ou debate. É o culto ao tarefismo alienante.
E, para explicar melhor a seriedade da empresa, um colega me apresentou este link do CQC:

http://videos.band.com.br/v_68641_proteste_ja_o_caso_das_apostilas.htm

Moçada, é duro ver que a verba do FUNDEB que poderia (e deveria) ser utilizada para a nossa valorização (salários) seja gasta dessa forma...

--
Um abraço!
Otto Ramos

Nenhum comentário: