terça-feira, 13 de abril de 2010

Release da Assembléia dos Trabalhadores (as) em Educação de Minas Gerais.

No último dia 08 de Abril, trabalhadores (as) em educação do Estado de Minas reunidos no pátio da Assembléia Legislativa decidiram entrar em GREVE por tempo indeterminado. Há mais de cinco anos a categoria está com seus vencimentos congelados e em condições péssimas de trabalho devido ao sucateamento que a educação pública vem sofrendo nos governos de Aécio Neves/PSDB.


Além de rejeitarem a proposta de reajuste anunciada no último dia 31 de Março, que não recompõem as perdas desses últimos anos, os trabalhadores(as) em educação também reclamaram da ausência de concursos públicos para todos os níveis da educação, o que aumenta mais ainda a precarização do ensino com a perpetuação de contratos por designação.

Minas Gerais possui um dos piores salários do país, apesar de possuir o 2º maior PIB do país e de ter aumentado a arrecadação com ICMS e outros tributos, recuperando as perdas do período mais grave da crise econômica mundial.

A Intersindical e a Unidade Classista estiveram presentes com seus matérias de divulgação e manifestaram apoio à GREVE dos educadores, na abertura das falações na assembléia, militantes da INTERSINDICAL manifestaram sua solidariedade aos trabalhadores em educação de SP que enfrentam forte repressão do Governo paulista e aos trabalhadores em educação da rede municipal de Belo Horizonte, que desde o dia 18 de Março estão em Greve por melhores condições de trabalho, enfrentando a truculência da prefeitura PT/PSDB que preferiu levar a questão para a justiça, ao invés de privilegiar a negociação.

Defendemos a necessidade de investimos no IPSEMG (INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA DOS SERVIDORES DO ESTADO DE MINAS GERAIS) o maior patrimônio público dos servidores, que está sendo lapidado e sucateado pouco a pouco pelo atual Governo, na clara perspectiva de privatização e a abertura imediata de CONCURSOS PÚBLICOS PARA TODOS OS NÍVEIS DA EDUCAÇÃO, pois a solução provisória apresentada pelo governo , através da chama LEI 100, que efetivou provisoriamente os educadores, sem garantias de direitos e estabilidade, não resolveu a grave situação de precarização que os educadores estão submetidos.

A próxima assembléia dos educadores acontecerá na próxima quinta feira, dia 15 de Abril, no pátio da Assembléia Legislativa de Minas Gerais.

Veja abaixo as fotos da manifestação que reuniu cerca de 4000 pessoas nas ruas do centro de Belo Horizonte.

Nenhum comentário: