sábado, 10 de janeiro de 2009

Ato dos movimentos sociais mineiros em solidariedade ao povo palestino e contra a guerra


Oitenta e uma entidades sociais, representativas de classes e partidos políticos, além de militantes independentes reuniram-se esta tarde, dia 6, no Sindicato dos Jornalistas de Minas Gerais para protestar contra a invasão armada de Israel na faixa de Gaza.
Durante o Ato dos movimentos sociais em solidariedade ao povo palestino contra a guerra, o professor Kaled Amer Asrauy, diretor de relações públicas da Federação de Entidades Árabes-Brasileiras, setor Minas Gerais, disse que “a história de Israel é uma seqüência infindável de mentiras, enganos e traições”. Conclamou os presentes a lerem os livros de Deuteronômio e Josué, especialmente os capítulos 6 a 21. Também com base na Bíblia, disse que "já havia árabes na Palestina, quando da invasão do chamado povo de deus, com letra minúscula”.

Enfatizou que os israelitas, ao rejeitarem Jesus Cristo como o Messias, rejeitaram também a universalizaçã o que ele deu a Jeová ou Iavé, permanecendo dentro do exclusivismo teocrático do Velho Testamento.

Também participante do Ato, o presidente do Sindicato dos Jornalistas Profissionais de Minas Gerais, Aloísio Morais informou que a conta dos assassinatos cometidos por Israel chega a 700 palestinos, nesta última semana. Criticou a deturpação dos fatos pela mídia e exortou aos presentes a cerrar fileiras nesta luta em defesa do povo palestino.

Rogério Correia foi anunciado por Carlos Calazans, do Instituto Mineiro de Relações do Trabalho, como tendo acolhido o Comitê Mineiro de Solidariedade aos Povos Árabes que funcionou em seu gabinete, quando Deputado Estadual. Em sua fala, Correia defendeu que fosse encaminhada algum tipo de reação objetiva para demonstrar enfaticamente o apoio dos presentes ao povo palestino.

Fábio Bezerra - representando a Coordenação Estadual da Corrente Sindical Unidade Classista/INTERSINDICAL, destacou em sua intervenção a relação entre as próximas eleições em Israel e a invasão a Faixa de Gaza, a Crise Econômica Mundial como pano de fundo e a importância da formação a partir deste ato de um Comitê de Solidariedade ao Povo Palestino.

Heitor Reis, da Abraço – Associação Brasileira de Radiodifusão Comunitária ressaltou a nota emitida pela entidade, a qual distribuiu aos presentes, que defende serem os EUA dominados pelos israelitas, conforme já tinha sido afirmado pelo prof. Kaled. Também propõe o envio de um navio brasileiro com médicos de outros países, inclusive cubanos, para cuidar dos feridos.

Durante o encontro de hoje, foi fundado o Comitê Mineiro em Defesa da Palestina que se reunirá amanhã, dia 7, às 10 horas, no SJPMG, para elaborar um documento de apoio ao povo palestino.
Os participantes do Ato também decidiram realizar na Praça Sete, dia 15, quinta-feira, a partir de 7 horas da manhã, exposição de painéis sobre o conflito na faixa de Gaza, com vigília cívica durante todo o dia. Às 15 horas, passeata da Praça Afonso Arinos à Praça Sete e, depois, até a Federação Israelita, onde será feito um protesto contra o ataque de Israel.

O comitê vai encaminhar ao governo brasileiro pedido de rompimento de relações diplomáticas com Israel e de cessar fogo imediato com retirada das tropas israelenses do território palestino.

Nenhum comentário: